Separar o joio do trigo

Uma situação como essa, em que estamos vivendo com o COVID-19, traz revelações. Muitos se agigantam, mas outros se apequenam. As atitudes, ações e posturas levam a isso. E não são somente os políticos e os homens públicos que entram nessa ciranda. Os homens e as mulheres comuns também.

Ou seremos grandiosos ou seremos minúsculos. As nossas capacidades de solidariedade, alteridade, caridade e olhar coletivo nos colocarão no local em que realmente devíamos estar. Agora, separa-se o joio do trigo. Nesse cenário caótico e açoitado pelo medo coletivo, evidenciam-se os altruístas e desnudam-se os egoístas. Perceberemos, claramente, aquele que pensa somente em si, mas também aquele que pensa em alguma estratégia para proteger o outro. Isso será evidente. Aqui, os que se agigantam e os que se apequenam se mostrarão.

Em tempos duros e de muita dor, extrapolar o cuidado para os outros é um ato nobre e belo. É um ato de muita grandeza. De que adianta orquestrar a vida, sozinho? A pandemia nos trouxe inúmeras incertezas e muita agonia. Isso é verdade. Mas, quem sabe, não consigamos mudar nossa forma de viver.

Emprestar o seu afeto e o seu cuidado para o outro, mesmo que você esteja fragilizado, é algo que me faz acreditar na humanidade.

Para finalizar, reflito com essas perguntas?

Antes da pandemia, fazíamos isso?
Depois da pandemia, faremos isso?

A resposta está com você…

Régis Barros

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>