Dor emocional, uma dor não palpável

Régis consultorio

Há quase 20 anos escuto descrições de dores emocionais. Todos os relatos, por mais que sejam diferentes, trazem em si um objeto em comum – a potência da dor emocional. Ela é tão insuportável que, se não houver o devido cuidado, eu mesmo, de tanto conviver com ela, acabo sendo invadido e assolado. A verdade é que, de tanto vê-la e de tanto escutá-la, eu acabei por ficar calejado no enfrentamento da mesma. Quando alguém sente uma dor não localizada, como as dores emocionais, é muito sofrido, pois ela vai tomando conta de tudo. Ela toma conta do corpo, do sentir e do pensar. Ela incomoda independente de você estar desperto ou dormindo. Ela acaba por limar os sonhos. Ela esbagaça o equilíbrio. Ela traz medo do futuro, pois, caso ela continue, não se pode nem projetar ou pensar um futuro. Para ela, não há opióide, analgésico ou antídoto imediato. Como ela é ruim! Todos que padecem dela falam a mesma coisa. É por isso que admiro tanto a psiquiatria e os/as colegas psiquiatras, pois não é fácil ter como função de ofício o ato de encarar, diariamente, a dor emocional. Tem dias que, ao chegar a minha casa, sinto como se um espectro tivesse sugado minhas forças. Certamente, isso significa uma espécie de radioatividade que a dor emocional propaga. Mesmo assim, vale muito a pena. Na grande maioria das vezes, o psiquiatra não tem exames ou procedimentos específicos capazes de brecar a instalação das dores emocionais. Tudo o que fazemos é iminentemente clínico, ou seja, tudo é produto de uma escuta e de um acolhimento afetuoso. A partir desse envolvimento, a terapêutica que combaterá a dor emocional nascerá e prosperará. De uma forma ou de outra, nós, psiquiatras, somos anteparos para essas dores externas. Portanto, para quem faz uma boa psiquiatria, a missão é cansativa e desgastante, todavia de uma magnitude e uma beleza sem igual dentro de toda a medicina.

Régis Eric Maia Barros

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>