A potência da neurose

At Eternity's Gate

Costumo dizer que a neurose ancora e transforma a vida numa inércia sem igual. Portanto, aquele que sofre e se mistura com uma grave neurose tem uma vida limitada. Mas o que seria uma neurose? Não usarei estas poucas linhas para descrever os fundamentos filosóficos e psicanalíticos dela. Não caberia e a leitura poderia se tornar muito sacal e chata. Como o objetivo principal deste pequeno artigo é estimular que as neuroses sejam tratadas, definirei neurose como aqueles funcionamentos emocionais repetidos que são capazes de causar dores e estragos na vida. Mesmo com tal potencial deletério, as atitudes neuróticas são replicadas. Então, a neurose poderá significar dor emocional permanente.

O mais problemático é que as conseqüências negativas provenientes de uma neurose acontecem de forma sistemática e recorrente. A despeito disto, aquele que padece deste mal, por vezes, não consegue enxergar e modificar esta realidade. A conseqüência será tenebrosa – uma existência cristalizada e condicionada dentro do funcionamento neurótico causador de dores. Não é incomum assistirmos esta novela de final trágico e anunciado, ou seja, histórias onde os protagonistas ficam alheios à realidade e empurram a vida com a barriga, mesmo com uma infelicidade constitucional descomunal. A neurose ataca o próprio neurótico e suas relações. Por conseguinte, ela não agrega e congela as possibilidades de uma vida plena. Pela impossibilidade de reflexão, aquele que caminha com sua neurose se esconde em racionalizações, negações e em outros mecanismos de defesa emocionais. Há um domínio da consciência pelas perspectivas doentias do inconsciente. Conseqüentemente, a razão eventualmente é atacada e, nesta égide, a neurose dá as regras da vida. Não haverá muito espaço para um contraditório, visto que, só existirá uma perspectiva – a neurótica. Assim, a vida acaba por sucumbir diante da necessidade de se reeditar a neurose. Parece maluco, mas, embora cause um estrago doloroso marcante, há uma compulsão pela repetição das posturas explícitas do funcionamento neurótico. Desafortunadamente, isto acontece. Ou seja, repete-se, sem notar, aquilo que machuca e que, até, desorganiza a vida. Por isto, a neurose é tão potente no objetivo de destruir – uma autodestruição e uma destruição relacional.

Quem padece disto, precisa se cuidar. Certamente, será praticamente impossível eliminar sozinho este cancro. Se muitas vezes é difícil percebê-la, imagine entendê-la, tratá-la e eliminá-la. Olhe para sua vida. Sem querer ser um detetive psicanalítico que trabalha com teses interpretativas, responda uma pergunta mais simples: sua vida está angustiada e confusa em alguns aspectos? Cabe a você iniciar este processo de questionamento. Se, por ventura, algo não está a contento, busque alguma ajuda e respostas. Há, sim, possibilidades, contudo você precisará dá este pontapé. Se cuidar e crescer para ter uma vida mais plena, representará um investimento e não um custo. Acredito que, para quem padece de uma importante neurose, este será o maior investimento da vida. Não empurre a sua vida com a barriga. Seja protagonista dela. Faça valer e se permita mais. Você merece. Acredite em mim.

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>